terça-feira, 8 de abril de 2014

Vizinhos plantam e trocam alimentos em bairro na Suíça

08 de Abril de 2014 • Atualizado às 16h13


O fotógrafo e ambientalista francês Yann Arthus-Bertrand capturou uma bela imagem de hortas urbanas comunitárias. O clique foi feito na Avenida de Crozet, em Genebra, na Suíça, e além da beleza estética, também serve como incentivo para comunidades que desejam ter suas próprias plantações.
Em seu site, Yann explica que as hortas urbanas começaram a ganhar força na Europa durante o século 19. O físico alemão Moritz Schreber foi o grande responsável por isso, ao incentivar que as cidades tivessem mais áreas verdes para o lazer das famílias. Aos poucos, as comunidades passaram a ter espaços para plantar seus próprios alimentos.
A Suíça está entre os países que aderiram ao movimento. O fotógrafo francês estima que o bairro de hortas em Genebra seja apenas uma pequena parte dos 50 mil hectares de hortas urbanas espalhados pelo país europeu. Na Rússia, mais de 72% das famílias que moram em áreas urbanas plantam parte de seus alimentos em seu próprio jardim e somente em Berlim, a estimativa é de que haja 80 mil “fazendeiros” urbanos.
As hortas comunitárias têm ganhado cada vez mais espaço em todo o mundo. Elas funcionam como fonte de alimento orgânico e também como ferramenta para a integração social.
Confira a comunidade no Google Maps:
Conheça outros movimentos de hortas comunitárias:
No Japão, o projeto Soradofarm, incentiva a criação de jardins e hortas nos telhados das estações de trem e metrô.

Foto: Divulação
Em Nova York, EUA, as fazendas urbanas surgem como uma das armas para combater a obesidade, um problema que atinge com força a sociedade norte-americana.

Foto: Nmorao/Flickr
Em São Paulo, os agricultores urbanos transformam espaços públicos em área para o cultivo. Até mesmo a Avenida Paulista, a mais famosa da cidade, já tem uma horta comunitária.

Foto: Hortelões Urbanos
Em Jaraguá do Sul, cidade catarinense, a própria prefeitura tem incentivado a transformações de terrenos vazios em hortas comunitárias. A iniciativa tem dado certo e hoje a cidade já possui 11 espaços desse tipo.

Foto: Sergio Oliveira/Flickr
Em todos os casos, é necessário atentar à qualidade do solo e ter cuidados específicos para manter a poluição longe das hortas. Veja algumas dicas de cuidados aqui.
Por Thaís Teisen – Redação CicloVivo